domingo, 10 de agosto de 2008

UNE e OAB realizam ato contra a corrupção e a impunidade




A presidente da UNE, Lúcia Stumpf participou na quinta-feira (24) de um debate organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no Rio de Janeiro, em defesa da ampla investigação de todos os crimes de colarinho branco no Brasil. O Ministro da Justiça, Tarso Genro, também compareceu ao debate e manifestou apoio à iniciativa da Ordem de criar uma comissão nacional de combate à corrupção e à impunidade.
''A OAB está na vanguarda desse processo, sempre esteve. Em qualquer sistema jurídico, o processo judicial é ambíguo, porque é necessário equilibrar direitos e garantias individuais com a persecução policial, com o combate à corrupção. Não devemos lamentar o que tem ocorrido, e sim comemorar os avanços no combate à corrupção'', disse Tarso.
Para a presidente da UNE, ''é gritante a disparidade com que o Poder Judiciário brasileiro trata ricos e pobres. É corriqueiro no Brasil acompanharmos casos de presos que não recebem assistência judiciária pública, homens e mulheres que amargam anos na prisão aguardando o julgamento de seus processos ou pedidos de liberdade''.
Sobre o projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional, que prevê a ''blindagem'' de escritórios de advogados em operações policiais, o ministro declarou que é preciso garantir a investigação policial, mas sem ferir as prerrogativas profissionais.
''Estamos estudando a lei, e se não existir prejuízo à investigação policial, ela será sancionada pelo presidente Lula. Se existir prejuízo, não será. Mas as prerrogativas não devem ser encaradas como privilégio, e sim como garantias essenciais à democracia'', resumiu Tarso Genro.
Entre diversas entidades, autoridades e parlamentares presentes, a mesa diretora dos trabalhos foi composta também pelo presidente Wadih Damous pelo conselheiro federal da OAB, Luiz Carlos Levenzon (que coordena o Grupo de Trabalho do Conselho Federal da OAB encarregado de estudar propostas para uma campanha nacional contra a corrupção); o vice-presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros, Henrique Maués; o deputado federal Jorge Bittar (PT-RJ) e o presidente do Sindicato dos Advogados, Sérgio Batalha.
Fonte: Portal Vermelho

2 comentários:

pedrinho disse...

ei to precisando falar com v6 o presidente ou vice...
sou o Pedrinho Calheiros Vice presidente da União dos estudantes secundaristas de Alagoas obrigado
mandem msn blz
abraços!

JBSantos disse...

..., ae galera, isso mesmo, mas acho que podemos fazer muito mais, já não é hora de sairmos às ruas em ato de protesto? Não deveríamos comunicar a todas os núcleos de estudantes em todo o Brasil para juntos manifestarmos repúdio à anti-ética dos parlamentares? Será que nos falta motivação? Vamos à frente, isto não mudará até reagirmos..., .
Obrigado.